vendas@andina.com.br

Rua José Bonifácio, 764 Centro, Taquaritinga, SP
CUIDE BEM DO SEU JALECO 2019-06-04T18:00:45+00:00

Cuide bem do seu jaleco

5 cuidados com jaleco que você precisa se atentar

1. Esteja atento ao tamanho, caimento e uso

Os cuidados com jaleco iniciam na hora de escolher a peça adequada para o seu uso no dia a dia. Não se esqueça de que, mais do que a marca da sua profissão, ele é um EPI (equipamento de proteção individual). Como tal, precisa estar adequado para cumprir a sua função de evitar o contato com substâncias ou resíduos nocivos para o profissional.

O ideal é que o jaleco tenha o tamanho correto para o seu biotipo e um bom caimento nos ombros e nas mangas. Preferencialmente, opte por peças com mangas compridas e não as dobre durante o dia a dia, para evitar que o braço fique exposto.

Além disso, é muito importante que o punho seja mais justo ou possa ser abotoado. Essa característica evita que o tecido tenha contato com contaminantes e também facilita calçar as luvas e manusear objetos e equipamentos.

2. Siga a legislação

Em 2015 o Projeto de Lei 1.999 foi proposto pelo então deputado Sr. Uldurico Junior com o intuito de proibir o uso de jalecos fora do ambiente de trabalho dos profissionais de saúde. O intuito é assegurar melhores condições de higiene nos ambientes e evitar a contaminação, tanto interna quanto externa.

Esse PL aguarda o parecer do Relator na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC). No entanto, diversos estados brasileiros já sancionaram as suas próprias leis, assegurando penalidades para o profissional que sair do seu ambiente de trabalho vestindo o jaleco. Esse é o caso do Paraná, de São Paulo, Minas Gerais, Alagoas, entre outros.

Porém, mais do que estar de acordo com a lei, evitar sair do consultório com o jaleco é uma forma de proteger a saúde dos pacientes e de todas as outras pessoas. Afinal, como prevê o projeto de lei citado, essa também é uma transgressão da Lei de Infrações Sanitárias (Lei 6.437/77), já que pode haver disseminação de bactérias.

Sendo assim, é importante o profissional estar ciente que o jaleco é um equipamento para ser usado apenas no seu ambiente de trabalho. Então, nos momentos em que for ausentar-se do consultório por motivo qualquer, é importante tirá-lo e armazenar em local adequado.

3. Higienize adequadamente

Se adotados os procedimentos corretos, não existe problema em levar o jaleco para casa para higienizá-lo. O importante é que ele seja retirado pelo avesso e colocado em uma embalagem individual para não ter contato com o ambiente externo, a fim de evitar a disseminação de contaminantes.

Para lavar, não é recomendado misturá-lo com outras peças, pois sua higienização precisa ser feita isoladamente. Antes de proceder com a lavagem, é importante que o jaleco fique de molho em uma solução de água e hipoclorito, ou seja, água sanitária, durante pelo menos uma hora.

Passado esse tempo, a peça pode ser lavada normalmente com sabão, sendo também interessante usar um alvejante à base de peróxido de hidrogênio. Ele reduzirá o amarelamento causado pelo hipoclorito, que, embora eficaz para combater contaminantes biológicos, causa esse efeito no tecido.

Como finalização, o jaleco pode opcionalmente ficar de molho durante alguns minutos em água e álcool. Depois disso, proceda com a secagem e posteriores cuidados, armazenando em um local livre de contaminações.

4. Elimine as manchas

Assim como para outras peças brancas, a retirada de manchas é um dos cuidados com jaleco que você precisará adotar. Afinal, essa cor é empregada nos ambientes de saúde por transmitir higiene e limpeza, sendo assim, é muito importante que o seu jaleco esteja impecável.

No caso dos dentistas, podem ocorrer principalmente manchas de sangue ou de suor. Ambas prejudicam o aspecto da peça e mostram descuido, além de falta de higiene. Veja a seguir o que fazer para eliminar cada uma delas.

Manchas de suor
O amarelamento causado pelo suor pode ser eliminado com uma solução caseira de amido de milho e água fria. Prepare uma pasta e cubra a mancha esfregando levemente. Outra opção é a água oxigenada com até 30 volumes.

Manchas de sangue
Para eliminar as manchas de sangue e qualquer resquício que possam deixar no jaleco branco, coloque a peça de molho em uma solução de água morna com vinagre ou bicarbonato de sódio. Esses dois produtos reagirão com as moléculas, eliminando tanto a tonalidade quanto os odores.

Existem também produtos específicos para eliminar manchas de tecidos brancos. Eles podem ser usados depois do hipoclorito e antes da lavagem com sabão. Apenas tenha cuidado para optar por boas marcas a fim de evitar danos ao tecido.

5. Transporte do modo correto

Independentemente das condições do jaleco, usado ou higienizado, ele deve ser transportado do modo correto. Em nenhuma das situações a peça deve ter contato com outras ou o ambiente externo, com o intuito de evitar contaminações.

Para transportá-lo quando estiver sujo, prefira um recipiente ou uma sacola que o mantenha isolado de todos os outros pertences. Não deixe dentro da sua própria bolsa ou no banco do carro, por exemplo, muito menos carregue-o nas mãos.

No caso do jaleco limpo, ele não deve ser transportado ao ar livre também. Embora não contenha agentes contaminantes, é a própria peça que pode ser contaminada pelo ambiente externo, colocando em risco a saúde dos pacientes e a higiene do consultório.

Então, prefira transportar o jaleco limpo dentro de um porta-jalecos ou em um saco com fechamento do tipo ziplock. Não carregue o jaleco nas mãos, em cabides, no banco do carro e muito menos vestido no corpo.

Cadastre-se para receber nossos informativos!